top of page

Será que é real ou coisa da sua cabeça?


É muito comum, dentro dos relacionamentos, que a gente brigue com o nosso parceiro por ter algumas sensações, ou achar coisas, que nem sempre são reais. Muitas vezes, só estão acontecendo dentro das nossas cabeças.


Por isso, é muito importante que a gente se questione e faça um teste de realidade. “Que história é essa de teste, Caio?” – Vem comigo, que eu vou explicar...


Por exemplo, imaginem que eu aprendi o amor de forma inconstante, porque minha mãe é uma pessoa bipolar, é cíclica, e aprendi que as coisas podem mudar a qualquer momento...


Então, em meus relacionamentos eu tenho a tendência a achar que o outro está estranho e começar a agir a partir do estranhamento que eu achei que ele está.


O que está acontecendo? Eu estou projetando no outro a minha necessidade de a pessoa ser inconstante para eu poder me sentir amado, porque foi assim que aprendi o amor.


Mas, será que esse estranhamento existe mesmo? Como eu descubro? Fazendo um teste de realidade. Ou seja, antes de eu brigar ou questionar o meu parceiro eu paro e me pergunto: “Tem algo de concreto, de real, que valide essa minha sensação?”.


Se ainda restar dúvida, podemos pedir ajuda para um amigo. Por exemplo, dá um print na conversa que pra você o seu parceiro está sendo estranho ou frio e envia para o amigo dá uma olhada. Se ele não achar nada demais, você já sabe que aquela sensação não é real.


E isso é só um exemplo, serve para todas as outras sensações ou situações em que acabamos brigando por achar coisas que estão relacionadas mais com a nossa forma de viver o amor do que com as atitudes reais do nosso parceiro.


Na dúvida, faça um teste de realidade! E se achar que para você é muito difícil descobrir sozinho, um processo terapêutico pode te dar mais clareza do que é uma sensação real ou um sentimento nutrido pela forma que aprendeu o amor lá na infância e que precisa ter uma resposta mais assertiva na vida adulta!


Fez sentido aí para você? Já tinha parado para pensar que, às vezes, toda aquela situação que você criou e que gerou uma super discussão só estava acontecendo na sua cabeça? Que tava mais ligado a você e aos seus processos do que às atitudes do outro? Já fez algum teste de realidade por aí?

Conta pra mim aqui nos comentários.


Bjpro6

Posts recentes

Ver tudo

É possível parar a compulsão de uma vez?

É comum quando percebemos um comportamento compulsivo a gente querer se livrar daquele componente de uma vez só. Então, se eu me masturbo muito quero parar e nunca mais fazer. Ou se como muito doce, q

Commentaires


bottom of page