Me venda a sua alma ou aceite o enforcamento


Todos nós conhecemos histórias como essas: pessoas tendo que negar o seu Deus, a sua religião, a sua sexualidade, a sua crença política, ou tendo que denunciar seus companheiros de luta... Pois, ou elas fazem isso ou são mortas, enforcadas, guilhotinadas, escolha a época e saberá como será a morte.


A questão aqui é que vivemos em tempos menos medievais, mas ainda sim a nossa cabeça vive a prêmio. Toda vez que você escolhe não ser autêntico, não ser verdadeiro, não se levantar pelas coisas que você acredita, não se posicionar pela sua verdade, você está vendendo a sua alma (aquilo que você realmente é) para não ir para o “enforcamento”.


Sim, ninguém quer ser enforcado. Mas, pensa bem! Será que ao vender a sua alma você não está se vendendo aos poucos?


Em 399 a.C. Sócrates perdeu a própria vida acusado de perturbar a ordem vigente. Esse filósofo que todos nós estudamos na escola pagou com a própria vida o preço de ser um homem notável, que trouxe ideias tão revolucionárias como: a busca pela virtude como mais importante que a busca por dinheiro; a ética do senso comum; a imortalidade da alma.


E você? Tem trocado a sua autenticidade por medo de ser condenado? Tem “vendido” a sua alma para não perder o prestígio, o emprego, os amigos ou qualquer outra coisa. Muitos filósofos que inauguraram a filosofia e todo o pensamento ocidental pagaram por serem autênticos com as suas próprias vidas. E a gente aqui com medo do que o nosso colega de rede social vai pensar sobre nós.


Esta semana vou falar de parresia (fala franca) e da importância de nos levantarmos por aquilo que acreditamos.


Acompanhe as postagens e conta aí nos comentários se você se preocupa com o que os outros vão falar? Se esconde suas ideias com receio do que o outro vai pensar de você?


Vem comigo!


Bjpro6


1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo