top of page

Ken e o nosso ‘ideal de eu’


O Ken, parceiro da Barbie, é tipo o "cara dos sonhos" – bonitão, charmoso, esportista e bem-sucedido em todas as profissões. Representando muito bem um “modelo de masculinidade”, que muitas vezes se encaixa naquilo que desejamos ser ou nos é imposto pela sociedade.

Aí eu te pergunto, você sabe quem você é de verdade? Porque eu aposto que você não é quem pensa que é! Ficou confuso? Vem comigo entender o conceito freudiano de ‘ideal de eu’.


O nosso ‘ideal de eu’ é a ideia que a gente tem sobre a gente mesmo, que a gente realmente acredita que é, mas que não está totalmente alinhada, não é coerente com a realidade de quem somos.


Muitas vezes, a gente acredita tanto no nosso ‘ideal de eu’, naquilo que a gente projeta ser, que a gente faz força pra destruir, pra tirar da vista aquilo que é a nossa identidade, que é quem somos de verdade, mas que a gente prefere esconder, porque não gostamos ou por não estar alinhado com o que esperam da gente. E isso acontece em várias instâncias.


No Ken que “tem que” se provar sempre como esse homem perfeito; na mãe que “não pode” cansar e tem que estar 100% dedicada aos filhos; na mulher que “tem que” ser exemplo de moralidade; no homem gay que “não pode” ser afeminado...


E ao acreditar nesse ideal que criamos para nós mesmos, acabamos deixando alguns aspectos de quem realmente somos de lado e esses aspectos “desviantes” acabam vazando em forma de sintoma, de sofrimento.


Por isso, a ideia desse post é fazer você pensar em quais aspectos seus você está negligenciando, que está deixando de olhar, porque realmente acredita que você é esse ser ‘ideal’.


Autoconhecimento começa assim, com a gente se investigando, se olhando, aceitando nossas partes boas e as não tão boas assim. Afinal de contas, todo mundo, inclusive o Ken, tem partes de luz e de sombras, pois somos seres plurais.


Cada um de nós é único e autêntico à sua própria maneira e, ao invés da gente tentar se encaixar em um ‘ideal de eu’ impossível de atingir, temos que celebrar a diversidade de identidades e valorizar quem somos de verdade.


Conta pra mim aí nos comentários, após ler esse post como está a sua percepção sobre você mesmo? Identificou se você tem um ‘ideal de eu’ muito rígido e se sofre por tentar esconder pontos da sua identidade?


Bjpro6

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

É possível parar a compulsão de uma vez?

É comum quando percebemos um comportamento compulsivo a gente querer se livrar daquele componente de uma vez só. Então, se eu me masturbo muito quero parar e nunca mais fazer. Ou se como muito doce, q

bottom of page