Quem nunca brochou que atire a primeira pedra


Vivemos em uma sociedade falocêntrica em que o homem para provar o seu valor precisa estar sempre ereto, duro e pronto para a ação. E isso pode parecer algo bobo, mas é uma ditadura, é uma expectativa cruel e que desumaniza o homem.


Ficar excitado, ter tesão e, por fim, apresentar o seu membro rígido, deveria ser uma resposta a um processo de encontro, de prazer, de gozo e não de cobrança.


Quantos homens começam a ficar emocionalmente abalados e muitos até duvidando da sua própria masculinidade, porque em algum momento não conseguiram ter uma ereção?


Precisamos desmistificar o lugar da ereção na masculinidade. O que te faz homem não é o seu pau ficando duro, não é quantos homens ou mulheres você conseguiu comer, aliás, o que te faz homem não tem nada a ver com o que você tem no meio das pernas.


A masculinidade precisa ser ressignificada e pautada naquilo que, realmente, faz de alguém homem: o seu caráter, a sua honra, a sua afetuosidade, a sua disponibilidade de ocupar um lugar social relevante e de deixar a sua marca no mundo. Isso é o que faz de alguém homem.


Além do mais, o resgate da potência sexual não começa no pau, começa na cabeça.


E se você quiser saber mais sobre isso, tenho uma aula especial que aborda diversos aspectos desse tema: “Brochar: causas, consequências e soluções”.


Bjpro6


0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo