top of page

A teoria por trás do seu ‘dedo podre!’


“Caio, como posso escolher só os boys errados? É ‘dedo podre’ mesmo?” – Na verdade, está mais para um ‘emocional podre’!


Porque somos seres estritamente emocionais, dotados de algum nível de razão, e não seres racionais, com algum nível de emoção, como te ensinaram por aí. E na hora de nos relacionar, de encontrar um parceiro, somos total emoção.


Nós não escolhemos os nossos parceiros de forma racional, mas somos atraídos a eles de forma emocional e inconsciente. E é aqui que começa o problema...


A razão é sobre o que a gente quer e o inconsciente é sobre o que a gente procura. O que a gente quer é a mesma coisa que a gente procura? Claro que não! Se fosse fácil assim não se chamaria vida.


Mas, por que isso acontece? Porque o que a gente quer tem a ver com um saber do que a gente identifica que seria bom pra gente, está no nível da razão. Agora o que a gente procura tem a ver com outra coisa, mais profunda e complexa. E para entender temos que voltar lá atrás e responder duas perguntas.


A primeira é: Qual tipo de amor você experimentou na sua infância? – O tipo de amor que você experimentou quando era pequeno está diretamente relacionado com a maneira como você reconhece o amor.


A segunda: Qual tipo de amor, de relação afetiva você testemunhou na sua infância? – O tipo de amor que você testemunhou quando era pequeno vai ter a ver com o padrão relacional que você vai reproduzir.


Então, ‘como eu amo’ e ‘como eu me relaciono’ tem a ver com os meus primeiros padrões afetivos, já que temos a tendência de procurar/sermos atraídos por pessoas que recriam os sentimentos de amor que conhecemos.


e o amor foi aprendido com dor, só será reconhecido com algum nível de sofrimento. Se o amor foi aprendido com frieza, só será reconhecido quando tiver algum nível de indiferença. Se o amor foi aprendido com cuidado, só será reconhecido se exigir que você se doe, cuide...


Logo, o seu ‘dedo podre’ está diretamente ligado a maneira como você experimentou e testemunhou o amor na sua infância e acaba reconhecendo e reproduzindo na vida adulta.


Faz sentido pra você? Conta pra mim aqui nos comentários...


Bjpro6

Posts recentes

Ver tudo

É possível parar a compulsão de uma vez?

É comum quando percebemos um comportamento compulsivo a gente querer se livrar daquele componente de uma vez só. Então, se eu me masturbo muito quero parar e nunca mais fazer. Ou se como muito doce, q

Comments


bottom of page