top of page

Uma relação dentro ou fora do armário?


Vimos aqui que em uma relação em que uma pessoa tá dentro e a outra tá fora do armário há sofrimento dos dois lados. “O que fazer, então, Caio?” – A minha recomendação, de quem já viu muitos casos assim: vocês precisam conversar e estabelecer algumas regras e prazos.


Pra começar, é importante saber: quem tá dentro, pretende sair do armário? Tem cuidado do que precisa ser cuidado pra que em algum momento consiga sair? Ou você que tá fora, está disposto a voltar pro armário? Tá disposto a voltar a se esconder?


Se os dois não estiverem dispostos a ir para o mesmo lugar, já aviso: essa relação não vai dar certo! Porque não tem como duas pessoas estarem juntas, de mãos dadas, se cada uma está indo pra um lugar.


Minha indicação é que quem está dentro, saia do armário, porque a vida dentro do armário não vale a pena, dentro do armário a gente não tem ar e não tem luz.


Mas, vocês como casal que combinam. Estando de acordo, é importante que vocês estabeleçam prazos e metas pra conseguirem fazer esse movimento.


Então, você vai começar a terapia para falar dos seus medos. Vamos combinar que daqui dois ou seis meses você vai contar pra sua mãe/pai. Você vai começar, pelo menos, a entrar nos restaurantes de mãos dadas comigo...


O que não pode é deixar isso no não dito. Se esses prazos não ficarem claros e vocês dois não começarem a se movimentar, fatalmente essa relação vai morrer. E aí você pode perder um grande amor, porque não falou sobre o seu incômodo ou porque não teve coragem de fazer o que tinha que ser feito.


É possível se apaixonar por alguém que tá no armário ou por alguém que tá fora. O que não é possível é essa desigualdade permanecer por muito tempo. Então, vocês precisam falar sobre ela e buscar ajuda.


Talvez, seja um bom momento pra você ir pra terapia, ser ajudado, sabendo que vai ter alguém pra te apoiar em casa, te apoiar nesse processo. Se você precisa de uma indicação, de um terapeuta que entenda das questões da homossexualidade, que vai te ajudar nesse processo, manda uma mensagem aqui, que eu posso te indicar alguém bem bacana.


Não espera a sua relação morrer pra você fazer alguma coisa. Procura ajuda, vai pra terapia antes da sua relação acabar. Vai curar os seus medos e as suas angústias, vai lutar pela sua relação. Você não precisar perder o seu amor.


Se você percebe que precisa de ajuda, que o seu namorado precisa ou que a sua relação precisa, deixa um “eu quero” aqui nos comentários, manda uma mensagem, que posso indicar um terapeuta que entende das coisas da homossexualidade e que vai ajudar vocês nesse processo.


Não espera sua relação acabar, não! Busca ajuda antes!


Bjpro6

Posts recentes

Ver tudo

É possível parar a compulsão de uma vez?

É comum quando percebemos um comportamento compulsivo a gente querer se livrar daquele componente de uma vez só. Então, se eu me masturbo muito quero parar e nunca mais fazer. Ou se como muito doce, q

コメント


bottom of page