top of page

Quer saber de onde vem a compulsão, neh?


Vocês me pediram para falar mais sobre o assunto e como amo vocês vou explicar por que diabos começa a compulsão. Quando falamos de qualquer vício, adicção ou comportamento compulsivo estamos falando de um prazer obtido sem um esforço natural.


“Quê?” – Calma, pangaré! Vou explicar: no desenvolvimento natural, a m@sturbação, por exemplo, está ligada ao instinto de brincar, porque ela está te preparando para a vida. Ela vai ser saudável até ela ser substituída por uma relação real, no encontro com o outro.


Só que em alguns casos, a pessoa ao invés de substituir a m@sturbação pelo encontro com o outro ela vai substituir por uma adicção, porque o encontro com o outro dá um certo trabalho, é preciso conhecer a outra pessoa, conquistar, criar um vínculo... até chegar no prazer.


Já a m@sturbação vai te entregar a recompensa do prazer sem todo o trabalho da conquista. “Tah, e qual o problema?” – O problema é que você perde a parte do aprendizado! Uma vez que, para conquistar alguém é preciso aprender sobre o melhor jeito de falar ou agir com cada pessoa, tem que tentar várias vezes, ouvir alguns ‘nãos’, se desenvolver até chegar na recompensa.


E a m@sturbação é só um exemplo, isso é aplicado a outras compulsões também. A m@conh@ te relaxa ou te traz paz, sem a necessidade de integração. A coc@ín@ é um jeito de acessar a euforia sem ter alegria. O fast food te dá o prazer da ingestão, sem oferecer uma nutrição de qualidade... Sacou?


Se você usa a bebida, a m@conh@ ou a m@sturbação para te trazer relaxamento, essa sensação vai servir para aquele momento. No outro dia, seus problemas, ansiedade, desintegração vão continuar tudo lá. E aí você terá que fazer tudo de novo, de novo e de novo... viu, compulsão!


“Caião, como eu resolvo?” – Você precisa desenvolver as ferramentas necessárias para lidar com as suas questões reais. A compulsão representa uma falha na entrada no mundo real, em que o ganho é completo, mas exige aprendizado e trabalho. A compulsão sempre gera um prazer incompleto, um prazer vazio!


Importante ressaltar aqui que, ninguém tem compulsão pela coisa em si, seja bebida, m@conh@, m@sturbação, comida... Mas, sim pelo estímulo, prazer, relaxamento, euforia ou resolução que aquilo traz.


Se você se identificou com algumas dessas situações, se acha que precisa de ajuda para entender melhor e cuidar desses processos, a terapia pode te auxiliar e muito. Se precisar de indicação de um bom profissional, posso te ajudar! Deixa um “eu quero” aqui ou me envia uma mensagem.


Pessoal, claro que compulsão é um assunto amplo e complexo, que não daria para detalhar em apenas uma postagem. A ideia aqui é só tentar explicar com exemplos como esses processos se iniciam.


Fez sentido para você? Ficou um pouco mais claro como os vícios e compulsões vão se construindo? Conseguiu identificar algo no seu dia a dia? Me conta aqui nos comentários.


Bjpro6

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

É possível parar a compulsão de uma vez?

É comum quando percebemos um comportamento compulsivo a gente querer se livrar daquele componente de uma vez só. Então, se eu me masturbo muito quero parar e nunca mais fazer. Ou se como muito doce, q

Commentaires


bottom of page