top of page

Quem a gente é versus o mundo que a gente quer


Quando a gente se pergunta ‘quem a gente é’ e a gente tem uma crise de identidade, a pergunta se volta para dentro: ‘Eu sou gay? Eu sou lésbica? Eu sou bi? Eu sou trans?’. Apesar de parecer uma pergunta bastante importante, essa é uma pergunta narcísica.


Quem eu sou, em última instância, diz respeito a mim e só muda a minha própria vida. A pergunta ‘quem eu sou’ só é relevante se eu souber responder a próxima, que é: ‘que mundo que eu quero?’.


Porque se a gente separar em ‘eu sou gay’ e ‘o outro é hétero’, a gente tem um mundo de mais cisão, mais separação, ‘eu’ versus ‘ele’.


Agora, se a pergunta for ‘que mundo que eu quero’, eu quero um mundo com mais divisão ou com menos divisão? Um mundo com mais respeito ou com menos respeito? Um mundo com mais afeto ou menos afeto? A resposta para a pergunta ‘quem eu sou’ desemboca no ‘mundo que eu quero’?


Quando eu respondo à pergunta ‘quem eu sou’ e a resposta é ‘eu sou gay’, eu faço disso uma pauta para colocar ódio no mundo, para segregar, para dividir, ou a partir dessa resposta eu vou para o mundo para valorizar mais a diferença, para destruir a desigualdade, para promover mais equidade?


Para mim, a pergunta ‘que mundo que eu quero’ deveria ser mais importante do que a pergunta ‘quem eu sou’, porque eu posso não saber exatamente onde eu estou numa sigla, mas se eu quero um mundo mais igualitário, se eu quero um mundo mais afetuoso, eu vou depositar mais afeto e menos vingança nesse mundo.


Uma reflexão que a gente pode fazer é: a gente quer mais divisão ou mais troca? A diferença precisa mesmo ser nomeada ou é mais importante que ela seja valorizada?


Você não precisa definir seu rótulo: gay, bissexual, pan, hétero... mas, é urgente responder: ‘que mundo quero ter?’. Estou cansado de ver tantos gays atacando as diferenças!


Discordar, tudo bem, agora atacar, não! Que seu comportamento (dentro e fora das redes) reflita o mundo que você quer ter! Lembre-se: A diferença não precisa ser nomeada, precisa ser respeitada!


Já parou para pensar que ‘mundo que você quer?’. Já se questionou se você está atuando para levar mais afeto ou mais vingança pra esse mundo? Conta pra mim aqui nos comentários.


Bjpro6

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

É possível parar a compulsão de uma vez?

É comum quando percebemos um comportamento compulsivo a gente querer se livrar daquele componente de uma vez só. Então, se eu me masturbo muito quero parar e nunca mais fazer. Ou se como muito doce, q

Comments


bottom of page