Psicólogo ganhador do Prêmio Nobel revela que os preconceitos cognitivos levam a más decisões




Os psicólogos Amos Tversky e Daniel Kahneman da Universidade Hebraica de Jerusalém promoveram um estudo na década de 60 que fomentaria o campo da economia comportamental e revolucionando grandes partes da psicologia cognitiva.


Com a morte de Tversky em 1966, Kahneman seguiu o trabalho e em 2002, foi premiado com o prêmio Nobel de ciências econômicas.


O experimento revolucionário de Kahneman evidenciou que preconceitos cognitivos afetam a nossa tomada de decisão, e destaca quatro pontos fundamentais:


1- Ancoragem

Ancorar refere-se à ideia de que somos facilmente influenciados por informações irrelevantes apresentadas a nós antes de tomar uma decisão. Ou seja, o individual tenta desvendar ou tomar alguma decisão com bases nos elementos presentes, mesmo que estes não estão relacionados à questão, o que pode levar a erro.


2 - Disponibilidade heurística

A heurística de disponibilidade refere-se à nossa tendência de fazer julgamentos com base em informações que podem ser facilmente recordadas da memória, mas que nem sempre os dados correspondem àquela realidade.


3 - Regressão à média

No contexto da psicologia, a regressão à média descreve nossa tendência em fazer predições tendenciosas sobre o futuro, porque não levamos em conta o poder da regressão.


A regressão à média é o fenômeno que se apresenta quando uma variável extrema aparece na sua primeira medição, ela tenderá a ser mais próxima da média em sua segunda medição e, paradoxalmente, se é extrema na sua segunda medição, ela tenderá a ter sido mais próxima da média em sua primeira.


4 - Viés de retrospectiva

Refere-se à nossa tendência de olhar para trás em eventos passados, ajustar a nossa visão de mundo para acomodar a surpresa e manter o discurso de "eu já sabia".


Este viés cognitivo é especialmente penetrante entre os especialistas, que tendem a olhar para trás em surpreendentes eleições políticas e inovações tecnológicas, e reenquadrar suas previsões erradas para corresponder à realidade.


Não confie em sua intuição

O estudo ainda aponta que a experiência e intuição são suficientes para tomar decisões inteligentes, mas o trabalho de Kahneman em preconceitos cognitivos traz uma mensagem com um forte aviso: a mente humana tende a fazer erros sistemáticos que levam a erros dispendiosos e más decisões.


Em última análise, a capacidade de identificar e gerenciar esses preconceitos cognitivos moldará nossa tomada de decisão e a qualidade de nossas vidas.


Com as informações de The Ladders

0 visualização
  • Instagram ícone social
  • Facebook ícone social
  • YouTube ícone social

Telefone e WhatsApp:

 +55 11 98800-0655