top of page

Não confunda ‘alhos com bugalhos’


Quando estamos em uma relação é comum nos sentirmos incomodados, inseguros, com raiva... mas, nem sempre essas sensações pertencem ao nosso parceiro. Elas podem estar ligadas a outras pessoas e relações que tivemos anteriormente.


Por isso, é muito importante dar nome e rosto para o que sentimos. Ficou meio confuso? Vou explicar com alguns exemplos...


Meu namorado me pediu ajuda para fazer alguma coisa. Aí eu já penso: “Nossa, que folgado, não faz nada sozinho”. Mas, será que meu parceiro é realmente espaçoso?


Quando eu paro e olho para a realidade vejo que essa é a primeira vez que ele está me pedindo ajuda e que na outra semana, foi ele que me fez um favor. Então, calma quem é o folgado? O folgado, por exemplo, é o meu pai, que sempre mandava eu fazer as coisas pra ele.


Por isso, é muito importante dar nome e rosto ao que sentimos. Eu tô com raiva, tô me sentindo inseguro, tô incomodado por algo que essa pessoa fez ou por algo que me remonta a uma experiência anterior?


A quem essa sensação realmente pertence? É ao meu namorado mesmo, ou é ao meu pai/mãe/cuidador/... que agia dessa forma comigo?


Talvez, o nosso parceiro desperte um gatilho na gente. Mas, temos que avaliar: meu namorado é sempre ríspido comigo ou ele só está passando por um dia difícil? Quem na verdade sempre foi ríspido comigo? Meu pai? Então, tenho que dar rosto e nome à essa sensação.


Gente, isso pode salvar relacionamentos! Quando a gente começa a dor rosto e nome aquilo que a gente está sentindo, a gente muda nossa maneira de nos relacionar com o outro.


Talvez, nem sempre, seja tão claro e simples identificar a quem essa sensação pertence, mas temos que fazer esse exercício. E a terapia pode ajudar muito a identificar, nomear a partir daí agir de maneira diferente em nossos relacionamentos.


Conta pra mim aqui nos comentários, fez sentido pra você? Já se sentiu incomodado com algo que seu parceiro fez, mas a sensação na verdade remonta a outra pessoa? Já conseguiu dar nome e rosto ao que está sentindo?


Bjpro6



Posts recentes

Ver tudo

É possível parar a compulsão de uma vez?

É comum quando percebemos um comportamento compulsivo a gente querer se livrar daquele componente de uma vez só. Então, se eu me masturbo muito quero parar e nunca mais fazer. Ou se como muito doce, q

Comments


bottom of page