top of page

Meu namorado tá me jogando de volta pro armário


Pode acontecer da gente conhecer um cara legal, especial, bonito, o sexo é bom, a troca é boa. Só tem um probleminha: o cara tá no ‘armário’.


E aí a gente vai percebendo que, aos pouquinhos, essa pessoa vai empurrando a gente de volta pro armário também.


“Como assim, Caio?” – Geralmente, isso vai acontecendo aos poucos, em situações do dia a dia. Você está lá todo feliz, entrando na padaria de mãos dadas com seu namorado e percebe que ele vai soltando a sua mão.


Ou vocês estão lá no cinema, aí você vai deitar no ombro dele e percebe que ele fica tenso. Ou encontra uns amigos dele na rua e ele não te apresenta como parceiro/namorado...


Em casa é só amor, vocês assistem filme enrolados um no outro, ficam grudados o dia todo, mas na rua... Percebem?


E nessas sutilezas, a pessoa que está no armário vai produzindo uma sensação de desconforto pra quem tá fora, que sente a sua liberdade sendo tolhida, justamente, por quem ela ama.


E o contrário também é verdadeiro. Quem tá dentro do armário também se sente incomodada, porque acaba passando por situações que ainda não está preparado ou não quer passar, e padece porque tem alguém a puxando pra fora do armário.


No fim, as duas pessoas vão sofrer e com o tempo esses incômodos, desconfortos e sofrimentos vão desgastando a relação, que tem poucas chances de sobreviver, já que cada um está indo para uma direção.


Se você está vivendo uma situação parecida e está percebendo que esses pequenos desconfortos estão desgastando a sua relação, talvez esteja na hora de conversar e procurar ajuda. A terapia pode ser um bom caminho para auxiliar vocês, seja como casal ou individualmente.


‘Sair do armário’ é um processo que é individual e diferente para cada pessoa. Se você está dentro e quer sair, ou se já está fora, mas percebe que está sendo jogado de volta, se todas essas questões estão te afetando e afetando a sua relação, saiba que a terapia pode ajudar e muito nesse processo.


Se precisar de indicação de um bom terapeuta que compreende as questões da homossexualidade, me envia uma mensagem ou deixa um “eu quero” aqui que te indico um bom profissional para te ajudar nesse processo.


Bjpro6

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

É comum quando percebemos um comportamento compulsivo a gente querer se livrar daquele componente de uma vez só. Então, se eu me masturbo muito quero parar e nunca mais fazer. Ou se como muito doce, q

bottom of page