top of page

Frustração: o resultado da raiva impedida


Quando falamos em raiva, quase que automaticamente pensamos nesse sentimento que deixa a gente bravo, irritado, que nos faz ter reações explosivas, que nos prepara para o ataque, para a briga mesmo.


Mas, hoje quero trazer para vocês o conceito de raiva da neuropsicanálise, que divide esse instinto em raiva quente e raiva fria. A quente é essa de querer avançar, bater, destruir... Pensa em um cachorro raivoso ou no leão que vai atrás da sua presa.


Já a raiva fria está ligada ao instinto de busca. Por exemplo, quando o seu irmão mais novo te assusta e aí você vai lá e planeja a sua vingança para assustá-lo de um jeito ainda pior.


O prazer da raiva fria se dá enquanto você está planejando, preparando, pensando na vingança. E o prazer da raiva quente está ligado à execução, à explosão, ao ato de ir lá e resolver.


E enquanto você não resolve ou não executa, você fica angustiado. Pensando em autoconhecimento, quando estou diante de algo que eu quero e tem alguma coisa me impedindo, isso aumenta a minha sensação de frustração.


Quando a gente começa a olhar para gente e reconhece um sentimento de frustração, pode procurar que deve haver ali uma raiva, algo que foi impedido de acontecer.


Um exemplo comum: o seu chef é grosso com você no trabalho, você sente o impulso da raiva, mas se cala. Aí você chega em casa frustrado pensando que odeia o seu trabalho, quando na verdade essa frustração aparece em resposta a sua impossibilidade de executar a sua raiva.


“Então, Caio você está falando que eu tenho que sair por aí usando a minha raiva?” Estou! Porque usar a raiva não é, necessariamente, algo ruim. Tem maneiras de a gente fazer que não precisa ser de forma violenta.


No exemplo do chefe, talvez dizer o que está pensando de um jeito cuidadoso. E, às vezes, tem que dizer sem ser muito cuidadoso mesmo, porque aquela situação pede que você permita que a tua raiva passe.


Então, é importante a gente poder olhar para a nossa raiva, reconhecê-la e saber que se a gente não dá vazão para ela, a gente vai se frustrar e ficar impedido do prazer da resolução que a raiva traz.


E aí? Aprendeu alguma coisa diferente sobre a raiva? Conta pra mim aí nos comentários.


Bjpro6


1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

É possível parar a compulsão de uma vez?

É comum quando percebemos um comportamento compulsivo a gente querer se livrar daquele componente de uma vez só. Então, se eu me masturbo muito quero parar e nunca mais fazer. Ou se como muito doce, q

Comments


bottom of page