Em nossa herança paterna


Você consegue identificar as coisas boas e ruins do seu pai? Pergunto isso, porque quando a gente rejeita os aspectos ruins do nosso pai, acabamos rejeitando os aspectos bons também!


Os nossos pais podem ter falhado muito, mas não falharam inteiramente, senão a gente não estaria aqui vivo para contar a nossa história.


Muitas vezes, gastamos tanto tempo rejeitando os aspectos negativos dos nossos pais, que esquecemos de nos apropriar do que é potência, que é afeto, daquilo que é positivo na experiência dos nossos pais.


Eu, por exemplo, minha mãe é workaholic e meu pai sempre foi ‘tranquilão’, não se preocupava com nada, tinha um estilo de vida que eu rejeitei por muito tempo. Até que eu fiquei doente de tanto trabalhar.


E só aí eu descobri que eu precisava ser um pouco mais parecido com o meu pai, que eu precisava aproveitar um pouco mais a vida, me preocupar menos, me permitir ter mais tempo de fazer o que eu gosto como tocar piano, pintar, ficar de boas na cachoeira...


Mas, eu só pude receber essa herança e pude parecer nos lugares bons com o meu pai, quando parei de rejeitar os aspectos ruins. E, mais do que isso, passei a reconhecer eles em mim e comecei a me responsabilizar para a mudança.


É claro que isso não foi automático. Não existe fórmula mágica. É um processo, que não é linear, que é denso e que necessita de enfrentamento, mas que com terapia e espaços terapêuticos como a Comunidade Gays Conscientes pode ser trabalhado.


Eu gosto muito de pensar na ideia de transgeracionalidade, se meus pais têm uma potência, ela está de alguma forma em mim. E se é algo positivo e se está em mim, por que não explorar e fazer isso crescer?


Acho importante a gente fazer esse reconhecimento e poder resgatar essas potências, que talvez estejam escondidas e negadas por muito tempo dentro de nós, como boas heranças!


Após ler esse post conseguiu parar e pensar em quantos aspectos bons do seu pai você acabou negando junto com os ruins? Já conseguiu receber essas boas heranças e transformá-las em potência? Conta pra gente aí nos comentários e vamos trocar algumas vivências!


E já sabe, né? Se quiser trabalhar essa e outras questões em um espaço terapêutico de aprendizado e troca de experiências e vivências, vem para a Comunidade Gays Conscientes!

Bjpro6

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo