Do que você foge ao se drogar?


Hoje vou compartilhar com vocês a história de um paciente que conseguiu rever sua relação com o uso de drogas e ter uma vida mais potente e relações mais reais.


Ele tinha uma tendência a sempre que as coisas não davam certo em sua vida, seja no trabalho, com a família ou no relacionamento, ele “acabava” na sauna, como um processo de punição e de “rebelião” contra as estruturas da sociedade.


E por que digo “acabava” na sauna? Porque ele só ia até a sauna quando já estava muito bêbado ou muito drogado.


Até que um dia, ele chega na sauna drogado, passa a usar mais drogas lá, acha que passou umas 6 horas na sauna, mas ficou por lá mais de 24 horas. Ele se perde no tempo e no espaço e tem experiências bem violentas, de seu ponto de vista.


Quando o efeito da droga passa e ele se vê naquela situação, começa a entender que está passando do limite em relação ao uso das drogas, que está se fazendo mal de verdade.


Então, começamos a trabalhar em seu processo de integração. Propus que ele fosse até a sauna sóbrio e que pudesse entender o que ele encontra lá sem os efeitos das drogas, explorando seus desejos e autoconhecimento.


Passaram alguns meses e ele não teve coragem de ir até a sauna sem usar nenhuma substância e foi percebendo que não havia nada lá que ele realmente desejava e que só ia até lá quando usava drogas para tentar fugir da sua própria dor.


Foi um processo bem difícil, com a retirada da droga fomos podendo olhar para a sua ansiedade, coisas que ele reprimia, seu próprio julgamento moral... ou seja, ele pode se enxergar.


E à medida que ele foi encarando todos os seus medos e seus próprios julgamentos morais, ele conseguiu se abrir para relações e vivências que não estavam vinculadas ao uso da droga, podendo viver experiências mais concretas e reais.


Esse é um bom jeito de trabalhar a relação com a droga, experimentar fazer o que você só consegue fazer drogado, sem estar drogado. Se não conseguir fazer, o que você sente? Se conseguir, como é fazer isso sóbrio? A maior chance que a gente tem de se libertar da droga é enfrentando aquilo que a droga esconde.


Por isso que resolvi dividir essa história real com vocês, para ilustrar alguns pontos que tenho falado nos últimos dias, para mostrar como muitas pessoas vão para o caminho das drogas como uma espécie de fuga dos seus problemas, dos seus medos e angústias, e como é possível sim enfrentar o que a droga esconde e escolher outros caminhos.


Espero que inspire quem esteja precisando nesse momento a procurar ajuda, a buscar outros caminhos e a se encontrar e a viver de uma maneira realmente livre e real.


Bjpro6


4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo