Como nasce a experiência de vergonha


Pensando pela perspectiva de que a ideia de vergonha tem relação com a experiência de não ser lovable, de não ser digno de amor, a experiência de vergonha está diretamente ligada a uma ferida existencial daquela pessoa que nunca foi prioridade para alguém.


Então, ela não teve um cuidador (mãe ou pai) que a tratou como se ela fosse uma pessoa com valor, que fosse desejada, que fosse amada por aquilo que ela é.


O sentimento de vergonha nasce dessa sensação de que o que você é não é suficiente. Que para você ter valor, você precisa ter ou fazer coisas.


No caso dos homens gays, isso está muito ligado a essa rejeição primária. Mas, isso não é exclusividade dos homens gays.


Por exemplo, pessoas que não foram vistas com valor, que não foram amadas pelos pais, que foram tratadas com rejeição... Todas elas vão carregar essa marca da vergonha.


Esse tipo de sentimento nasce lá na primeira infância, de uma experiência muito primária de falta de amor.


É por isso que o terapeuta no consultório precisa falar dessas experiências primárias, dessas relações com pai, mãe, cuidadores e, principalmente, poder ser essa figura que vai viver uma experiência de afeto com esse paciente como ele nunca viveu com nenhuma outra pessoa.


Talvez, o terapeuta seja a primeira pessoa que vai acolher, amar e aceitar esse paciente como nunca ninguém fez antes.


Obs.: É importante que depois que o paciente tenha vivido isso com o terapeuta, o psicólogo possa ajudá-lo a construir experiências como essa fora do consultório.


Bjpro6

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo