top of page

Artigo relaciona a má alimentação com problemas psicológicos




É crescente o número de obesos no Brasil. Uma pesquisa do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), realizada ao longo de 2016, aponta que a proporção de adultos com excesso de peso aumentou de 46,5% para 53,7%, um crescimento de 15,5%, na comparação entre 2008, quando o estudo foi feito pela primeira vez. O experimento foi feito com 53.210 pessoas em todas as capitais e no Distrito Federal.


A enfermidade abre portas para outros problemas, como aumento dos diabetes e hipertensão, além de alguns tipos de câncer. Mas não só apenas enfermidades físicas as pessoas com sobrepeso estão sujeitas, mas também problemas psicológicas, sugere uma publicação.


O cenário não é um fenômeno isolado em nosso país. Nos Estados Unidos, a questão é eminente e duas disciplinas estão sendo relacionadas para tentar explicar os casos: a nutrologia e a psicologia: a chamada psicologia nutricional.


Segundo um artigo do Jems - Journal Of Emergency Medical Services, a junção é emergente na comunidade científica. Recentemente, um estudo mostrou que uma dieta mediterrânea comparada com a dieta ocidental pode reduzir o risco de depressão, mostrando uma correlação entre nutrição e saúde mental.


É utilizado várias referências citando o mecanismo biológico através de estudos de meta-análise e observacionais concluídos nos últimos anos, incluindo um experimento que ilustrou um menor risco de depressão quando uma dieta mediterrânica foi seguida.


Todo o ser humano carrega consigo bactérias que vivem no estômago, que são sensíveis aos alimentos ingeridos. Alimentos que promovem o crescimento dessas bactérias, fazem com que o sistema digestivo produza moléculas. Quando não há cuidados na microbiota do corpo, há um declínio em muitas dessas moléculas. E então muitas destas substâncias produzidas no trato gastrointestinal (GI) têm uma função diretamente relacionada ao humor do indivíduo.


Estudos citados no artigo apontam que a falta dessas moléculas pode levar ao aumento da ansiedade e depressão entre animais e humanos.


A publicação aponta ainda que dietas como a mediterrânea e outras não-ocidentais são ricas em antioxidantes, componentes anti-inflamatórios e moléculas de ômega-3, que desempenham um papel na saúde intestinal.


A relação entre a psicologia e a nutrição tem ficado cada vez mais estreita, sugiro esse outro texto "segredos psicológicos para emagrecimento" para ler mais sobre essa relação.

31 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page